Florianópolis

Florianópolis costuma ser chamada de “Ilha da Magia”. Aliás, este carinhoso apelido foi dado por Franklin Cascaes, importante pesquisador da cultura açoriana. O apelido não poderia ser melhor, até porque a capital de Santa Catarina é referencia em beleza e história e sua paisagem, patrimônio histórico cultural, e sua gente fazem de “Floripa” – como também é conhecida a cidade, um lugar cheio de encantos. Com 461.524 habitantes, a maioria da população de Florianópolis é de ascendência européia, descendentes dos colonos açorianos, alemães e italianos.

QUALIDADE DE VIDA

A cidade ocupa uma área de 437 quilômetros quadrados e tem um terço de seu território em áreas de proteção ambiental. Localiza-se no centro-leste do estado de Santa Catarina e é banhada pelo Oceano Atlântico. Grande parte de Florianópolis (97,23%) está situada na Ilha de Santa Catarina.

INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E NEGÓCIOS

Também é considerada uma das cinco melhores do Brasil para negócios e recebe eventos de âmbito nacional e internacional. Tem um polo de inovação e empreendedorismo com 600 empresas de tecnologia, três parques tecnológicos, seis incubadoras de empresas e quinze universidades.

LOCALIZAÇÃO

A cidade ocupa uma área de 437 quilômetros quadrados e tem um terço de seu território em áreas de proteção ambiental. Localiza-se no centro-leste do estado de Santa Catarina e é banhada pelo Oceano Atlântico. Grande parte de Florianópolis (97,23%) está situada na Ilha de Santa Catarina.

LAZER, TURISMO E HOTELARIA

Suas 42 praias são um atrativo para o turismo – e a cidade tem o quarto maior parque hoteleiro do Brasil, com cerca de 20.060 leitos, 65% deles localizados nas regiões das praias e 35% no centro da cidade. Além das praias, igrejas, museus, fortalezas e núcleos de colonização açoriana merecem uma visita.

HISTÓRIA DE FLORIANÓPOLIS

4800 A.C.

Os mais antigos vestígios da ocupação na região de Florianópolis datam de 4800 a.C. Inscrições rupestres indicam a presença do chamado Homem de Sambaqui nessa região.

SÉCULO 16

Os habitantes da região, na época da chegada dos exploradores europeus eram os índios carijós, de origem tupi-guarani, que praticavam a agricultura, pesca e coleta de moluscos. O local era chamado de Meiembipe (montanha ao longo do mar) e o estreito que separa a ilha do continente, chamado Y-Jurerê-Mirim (pequena boca d’água).

1645

Por volta de 1675, o bandeirante Francisco Dias Velho deu início ao povoamento do local batizado como Nossa Senhora do Desterro.

MEADOS DO SÉCULO 18

Chegada dos imigrantes açorianos à ilha, que incrementaram a agricultura e a indústria manufatureira de algodão e linho. Na mesma época, foram implantadas as “armações” para pesca da baleia e extração de seu óleo, nos locais que passaram a ser chamados de Armação da Piedade e Armação do Pântano do Sul.

1737

Por Florianópolis possuir uma sua posição estratégica na costa, passou a ser ocupada militarmente e começaram a ser erguidas suas fortalezas.

1823

Em 1823, Desterro tornou-se capital da Província de Santa Catarina. Obras urbanas e a ampliação do porto impulsionaram o local.

1891

Em homenagem a Floriano Peixoto, a cidade foi batizada de Florianópolis.

SÉCULO 20

Durante o século 20, o processo de urbanização de Florianópolis foi acelerado e a cidade começou a sofrer grandes transformações.

1926

O símbolo mais conhecido de Florianópolis, a Ponte Hercílio Luz, foi inaugurado em 1926 como a primeira ligação rodoviária entre a ilha e o continente.

ÚLTIMAS DÉCADAS

Nas três últimas décadas dos anos 1900, a cidade recebeu novos moradores e surgiram as pontes Colombo Salles e Pedro Ivo Campos.

DESCUBRA FLORIPA

Conheça e explore tudo o que Floripa tem de melhor a oferecer na página Descubra Floripa.